PALMIRA

PALMIRA
POINTER DO AÇAI

Itaju do Colônia

Itaju do Colônia
Rádio jornal de Itabuna

Itabuna

Itabuna
Rádio Nacional de Itabuna

Floresta Azul

Floresta Azul
Vereadora Daniela Larangeiras

Floresta Azul

Floresta Azul
Vereadora Daniela Laranjeira

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

Bolsonaro entrega o filho Flávio para ‘não perder os dedos’, di

São Paulo – A defesa do senador Flávio Bolsonaro entrou com habeas corpus preventivo no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (19),  para tentar suspender as investigações sobre o esquema de “rachadinha” em seu gabinete na época em que era deputado estadual pelo Rio de Janeiro. Segundo o Ministério Público fluminense, o senador seria líder de organização criminosa responsável por desvio de dinheiro público. O ex-policial militar Fabrício Queiroz seria o operador do esquema que arrecadava parte do salários de assessores.
As investigações apontam que Queiroz recebeu mais de R$ 2 milhões em 483 depósitos feitos por 13 assessores ligados a Flávio. Já o senador teria lavado 2,3 milhões com imóveis e uma loja de chocolate no Rio, segundo o MP. Familiares do ex-policial Adriano Magalhães da Nóbrega teriam transferido para Queiroz cerca de R$ 203 mil, cerca de 20% dos salários recebidos. Adriano, que está foragido, é suspeito de comandar o Escritório do Crime, grupo miliciano que atua no bairro de Rio das Pedras, na Oeste do Rio de Janeiro, base eleitoral da família Bolsonaro e que teve mãe e esposa contratadas como assessora de gabinete do então deputado Flavio Bolsonaro.
Por: Wender Lima.
Tribuna de Palmira.

0 comentários:

Postar um comentário