terça-feira, 16 de abril de 2019

Bolsonaro: 100 dias de um fiasco como presidente

O atrapalhado e fantoche dos banqueiros e empresários do Brasil, completa 100 dias de desgoverno e não para de metralhar o povo brasileiro com medidas antipopulares. A cada dia fica mais evidente que Bolsonaro é despreparado para exercer o cargo de Presidente do Brasil. Aliás o mesmo afirmou recentemente que não nasceu para ser presidente e sim militar, que tambem não foi bem. O dado concreto é que Bolsonaro protagonizou algumas atrapalhadas enquanto chefe de estado o que coloca o Brasil de cócoras perante América do Sul e o resto do mundo.
Elencamos aqui algumas medidas deste desgoverno que faz um desmonte no estado brasileiro.
Viagem a Davos na Suiça com as principais economias do mundo.
Na bagagem Sérgio Moro o super ministro que o mundo pergunta o que o mesmo estaria fazendo em Davos, tendo em vista que ali se tratava de assusntos de economia. O Brasil foi humilhado, pois não apresentou nenhuma proposta. Apenas farra com o dinheiro público. Viagem aos Estados Unidos para entregar a Base de Alcântara, restringir a entrada de brasileiros ao Estados Unidos e liberar o acesso dos americanos ao Brasil sem visto, além de uma visita a CIA (Central de Inteligência Americana) o que causou estranhesa, ja que se trata das atividades secretas do governo americano.
 Reforma da previdência para favorecer os empresários e os banqueiros e detrimento da classe trabalhadora. Por decreto acaba com o CONADE (Conselho Nacional dos Direitos da pessoa com Deficiência), tira a autonomia do IBAMA e da direito a exploração indiscriminada de madeira, e por último sua equipe econômica, apresenta o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias, estabelecendo para 2020 um salário de R$ 1040, um aumento de R$ 42, em relação aos atuais R$ 998. A nova regra define que não haverá aumento real do salário mínimo o ano que vem.
 Ele será corrigido apenas pelo INPC (Índice Nacional dos Preços ao Consumidor). 
Vale ressaltar que o aumento do salário mínimo é considerado real quando está acima da inflação. Pela proposta do Paulo Guedes, ministro da economia que está a serviço do mercado financeiro, com o aval do fantoche Bolsonaro, a inflação de 2020 vai sucumbir os míseros R$ 42 de reajuste do salário mínimo.
Esse é o retrato de um governo antidemocrático, mau avaliado, sem direção e sem planejamento.
Bolsonaro é um verdadeiro presente de grego para o povo brasileiro.
Por: Wender Lima.
Tribuna de Palmira.





















0 comentários:

Postar um comentário