Perigo à vista!

Já estão começando as estações da piracema, quando os grandes peixes retornam aos nascedouros para fazer-se multiplicar com profusa desova, bem como, a sanguinária caça às raposas da periferia. Esse é o mote. Vocês estão carecas de saber quem é o objeto a ser fecundado e quem personifica a pobre raposinha, perseguida por cavaleiros VIPS montados em corcéis árabes puros sangue apoiados por matilhas de cães especialistas aos quais ninguém escapa.
É isso aí mesmo. Fins de mandatos à vista nos horizontes do Estado, chusmas e hordas de senadores, deputados federais, governadores, deputados estaduais, etc. bem nutridos ($$) nesses 48 meses de doce far-niente político deixam suas mansões e apartamentos funcionais à beira do lago Paranoá e nos condomínios luxuosos de Ondina/BA para empreenderem a salutar caça ao voto, contritos de boas intenções e armados de promessas que suscitam indubitáveis.
Há um vaso séptico chio de papel higiênico usado para escolhermos onde vamos inscrever nosso voto. Fato. Em desnecessária redundância, não podemos deixar de elencar os porquês do descrédito e desmoralização quase coletiva que acomete doentia e rotula velhos oligarcas tanto quanto açodados personagens debutantes de primeiro mandato no âmbito politico nacional, todos eles com os cueiros imundos. A rejeição desperta do eleitorado frente figura do político atinge índices de quase unanimidade. O já eleitor não confia no político, literalmente, por justas e mais diversas razões, incluindo roubo, furtos, leniência, prevaricação, ociosidade, proxenetismo, impunidade, uso abusivo da “Lei do Gerson”, do foro privilegiado, etc. etc… Corrupção generalizada. Por isso, a soma dessa desmoralização redundante se junta à impaciência e ao destempero do eleitor farto para ouvir a cantilena dos longos discursos programáticos pra boi dormir, mesmo quando bafejados ao pé do nosso ceroso ouvido. Ouço não.
Some-se a degradação e o apodrecimento dessas “empatias”, simulacros da extinta ética moral, adicionada à metodologia seletiva viciosa empregada para escolha de ocupantes a cargos por indicação e nomeação dentro das “cotas” partidárias. Os critérios são meramente político-articulares, compadres, comadres, peixes… Ai o “servidor” despreparado, desinformado, incapaz de gerir e conduzir um carro-de-bois vai ser Ministro! Vai presidir o BNDES, a Caixa, gerir a Petrobras! Fala sério vai. Pra piorar, nesse circuito fechado de ações libertinas entre correligionários, nenhum nomeado tem iniciativa e/ou coragem para contratar pelo menos um assessor tecnocrata ou especialista como consultor eventual, um socorrista para sua imensurável ignorância e apedeutismo do “meu primeiro emprego”. Nada de alienista.
Nossos critérios ou, pelo menos os meus, enquanto eleitor cansado dos abusos e da espoliação política pelos representantes do povo – uma piadinha – todos sabem quais são os interesses que eles defendem com unhas, dentes e foro privilegiado! O crivo será fino e minucioso: critérios técnicos embasados em formação, capacitação, profissionalismo ético e, reconhecido talento e empenho demostrados nas suas atividades profissionais em nosso meio, onde construiu personalidade ética, moral e honradez irretocáveis.
Não precisamos sair por ai como o filosofo grego Diógenes que há mais de 2000 anos, em pleno dia com uma lanterna acesa saiu às ruas à procura de um Homem Honesto. Pra termos de resgatar do nosso próprio meio e convívio social, aqueles que preencham os atributos necessários e detenha o conhecimento vivencial das necessidades e carências da nossa população, núcleo social onde vive. E creiam, essas personalidades capacitadas, lideranças natas, existem e estão aqui mesmo, degustando os mesmos perrengues que afligem o “Zé Ninguém” eleitor. O mote é não reeleger ninguém. Digo isso calçado nas sapatilhas apertadas daqueles que curtiram mandatos ociosos apenas enchendo a pança em doce far-niente, sem histórico ou currículo de mínima benfeitoria ao povo vem, com cara untada em óleo de peroba, pedir reeleição ao povão.
Vamos olhar à nossa volta e certamente encontrar em nosso meio as lideranças natas, cidadãos com potenciais atributos para representar nosso povo, nossa cidade e região na Câmara Federal e Assembleia Legislativa do Estado. Gente que, reconhecidamente, já tenha demonstrado compromisso, desprendimento, altruísmo, etc. em defesa das causas sociais tanto quanto de cidadãos carentes desassistidos do seu Estado de Direitos, solapados por entes públicos a quem caberia defende-los. Olhem à sua volta. Você certamente encontrará um líder nato, capaz e honrado para incumbir pelo voto responsável o exercício da sua representatividade política na esfera do Estado. Não há quem mereça reeleição(salvo raríssimas exceções). O sangue novo deve purgar o sistema do sangue infecto dos corruptos ate à última hemácia. Alea jacta est. É com você agora.
      

 

Comentários

Anterior Proxima Página inicial